Como funciona o gerenciamento de patches?

Como funciona o gerenciamento de patches?

Publicado em 13 de outubro de 2021

Manter os sistemas e equipamentos de TI atualizados é um dos fatores primordiais para aumentar o nível de segurança da informação. E, sem dúvida, essa prática reduz, de forma considerável, as chances de sofrer um ataque virtual que paralise as atividades. Por isso, há um foco crescente no gerenciamento de patches.

Afinal, as organizações sabem como é relevante minimizar os riscos de hackers encontrarem brechas que podem favorecer a invasão da rede. Não há dúvidas de que proteger os dados institucionais é uma tarefa bastante complexa e exige o máximo de atenção.

Neste artigo, vamos apontar diversos aspectos relacionados com a gestão de patches. O objetivo é te ajudar a estar mais qualificado para enfrentar as ameaças digitais. Confira!

O que são patches?

Consistem em ações voltadas para a correção de um sistema. Em outras palavras, são atualizações feitas para eliminar bugs que podem criar vulnerabilidades em um software a serem exploradas pelos cibercriminosos.

Por isso, é essencial que haja um gerenciamento de patches que permita constatar o que é necessário para uma ferramenta ser ainda mais segura. Uma das razões para esse procedimento ser adotado com eficiência abrange o fato de os hackers empregarem meios cada vez mais sofisticados para aplicar um ataque cibernético.

Esse fator, sem dúvida, justifica um maior cuidado com a atualização de sistemas. Afinal, é necessário reforçar a segurança da informação. Por outro lado, os patches têm outra finalidade crucial: melhorar a usabilidade dos softwares.

É muito relevante que os usuários tenham facilidade em encontrar os recursos proporcionados por uma solução. Além disso, um sistema deve ter funcionalidades que realmente agreguem valor. E para isso ser viável, as atualizações precisam ser feitas com foco na melhoria contínua.

Gerenciamento de patches: por que fazer?

Com a transformação digital se consolidando em diversas partes do mundo, os serviços digitais passaram a exercer uma grande influência na qualidade do atendimento. Inegavelmente, isso contribuiu para a gestão de patches assumir um papel de extrema importância atualmente.

Pensando nisso, vamos expor, de maneira detalhada, as principais vantagens de executar o gerenciamento de atualizações de acordo com as melhores práticas do mercado de TI. Acompanhe!

Mais rapidez na correção de vulnerabilidades

A segurança da informação não pode ser tratada de maneira displicente em hipótese alguma. Isso obriga as empresas a terem um maior direcionamento para apostar na correção de falhas nos sistemas com extrema agilidade.

A melhor alternativa para fazer isso de forma exemplar é por meio dos patches. À medida que a capacidade de corrigir os sistemas é aprimorada, menores são as possibilidades de um ataque cibernético causar danos financeiros e de imagem. Esse aspecto justifica um maior esforço em priorizar o uso de softwares atualizados.

Produtividade elevada

Um bom gerenciamento de patches também permite que a equipe tenha uma maior produtividade. Isso é possível em virtude de as atualizações ajudarem a tornar os sistemas mais fáceis de serem utilizados.

Em outras palavras, os funcionários têm mais chances de alcançar um excelente rendimento quando as soluções estão customizadas, ou seja, com recursos personalizados e que podem ser usados de maneira simples e rápida.

A capacidade de resolver as demandas internas e dos clientes com agilidade é peça-chave para melhorar o desempenho e a qualidade dos serviços, metas alcançadas quando a produtividade está em um ótimo patamar.

Serviços diferenciados

Uma consequência de ter sistemas mais simples de serem utilizados engloba o potencial de os serviços serem aprimorados continuamente. Por isso, o gerenciamento de patches também é fundamental para uma empresa ter um atendimento de alto nível.

Atualmente, muitas demandas do público-alvo são resolvidas por meio de sistemas. E tornar as ferramentas digitais mais seguras e simples de serem utilizadas permite a uma organização disponibilizar um suporte diferenciado.

Administrar as atualizações de softwares de acordo com os melhores procedimentos do mercado é uma ação que deve ser priorizada. Afinal, isso torna os sistemas mais focados nas necessidades dos usuários, fator primordial para o engajamento e a fidelização.

Alto nível de disponibilidade

Contar com softwares que podem ser facilmente utilizados pela audiência, sem dúvida, é um ponto positivo. Contudo, é necessário que os serviços digitais estejam com um elevado nível de disponibilidade para a demanda ser atendida de maneira plena.

Para atingir esse objetivo, o gerenciamento de patches exerce um papel muito relevante porque expande o nível de proteção da informação dos sistemas. Assim, minimiza os riscos de as atividades serem interrompidas por causa de um ataque virtual.

Entenda o ciclo de gerenciamento de patches!

O melhor caminho para as atualizações de software serem devidamente gerenciadas é seguir fases importantes para esse trabalho ser executado com maestria. O primeiro passo é fazer um mapeamento dos ativos de TI. Dessa forma, é possível identificar as soluções que precisam de correções com eficiência.

Ao ter uma dimensão do que necessita ser atualizado, torna-se mais fácil estabelecer prioridades. Ou seja, é possível montar um calendário dos trabalhos de patches que devem ser executados para manter o bom funcionamento dos serviços. Isso somente pode ser concretizado quando há uma gestão responsável e estratégica.

Outra iniciativa relevante para o bom gerenciamento de patches abrange os testes. Essa prática prioriza fazer com que as atualizações realmente apresentem os resultados previstos. Em virtude disso, é válido contar com um ambiente para verificar se as correções estão atingindo as metas estipuladas. Assim, são maiores as chances de aumentar a segurança e a usabilidade das ferramentas com precisão.

Mais um ponto crucial para a gestão de patches ser devidamente executada contempla as atribuições dos trabalhos de cada membro da equipe. Com os funcionários conscientes do que deve ser feito para as atualizações terem êxito, é mais simples administrar todo o processo e atingir ótimos resultados.  

Dicas para garantir um bom gerenciamento de patches

A nossa principal dica é a indicação da melhor solução de gerenciamento de Patches: o Patch Manager Plus. Uma solução completa, ele oferece implantação automatizada de patches para terminais Windows, MacOS e Linux, além de suporte de patches para mais de 650 updates, através de mais de 350 aplicativos. Está disponível de maneira on-premise e na nuvem.

É uma das soluções que a Centric oferece no seu arsenal de mais de 50 ferramentas de administração de TI, desenvolvido pela empresa ManageEngine, do grupo Zoho Corp.

Além de mapear os ativos, priorizar ações, criar um ambiente de testes e estruturar a equipe, é válido contar com um parceiro qualificado para fornecer recursos que ajudem a aperfeiçoar o gerenciamento de patches. O apoio especializado contribui para acompanhar as tendências do mercado e garantir um maior nível de segurança da informação aos dados institucionais.

Se está em busca de informações para utilizar a TI a favor do seu negócio, não deixe de conferir os conteúdos do nosso blog. Com certeza, isso vai te ajudar a obter uma performance acima da média!

Tags da Publicação


Escreva um comentário

* Seu comentário aparecerá após a aprovação do moderador.

Fale com a Centric

Nosso canal com os profissionais de TI

Centric Academy